Super drone: a transformação digital e seu impacto nos negócios

A transformação digital é tema cada vez mais comum de estudos e debates, indo muito além dos círculos de gestores de TI e profissionais da tecnologia . Seus impactos hoje são maiores do que a simples otimização de processos, pois permitem até mesmo a formação de novos modelos de negócio. Entre as inovações que se destacam, o super drone é uma das que veio para ficar.

Ainda assim, o assunto segue permeado de algumas dúvidas. Qual é exatamente o papel da transformação digital no mundo dos negócios atual? O que de fato significa essa era na qual estamos vivendo? Quais são suas principais tendências? O super drone já tem resultados palpáveis?

Criamos este artigo para responder a essas e outras questões fundamentais sobre o assunto. Confira!

A transformação digital e os negócios

O conceito de transformação digital faz referência ao processo de uso da tecnologia para otimizar os processos de uma organização. Isso significa alcançar resultados melhores, aumentando a produtividade dos colaboradores e o alcance da empresa. Trata-se, assim, de uma mudança estrutural na forma de se relacionar com o mercado.

Diferentemente de outros momentos de intensas modificações nos negócios, estamos em uma era de ações disruptivas mais frequentes. Graças à digitalização dos próprios ambientes de relacionamento humano, é possível criar produtos e serviços que simplesmente modificam a lógica de compra e venda.

Quando uma empresa faz isso, ela obriga toda a concorrência a se adaptar à nova dinâmica em vigor. Basta pensar em como os serviços sustentados por aplicativos, como o Uber, impactaram o mercado global de setores como o de transporte coletivo.

Nesse sentido, as organizações passaram a colocar a tecnologia no centro de suas estratégias de negócio. Mais do que utilizá-la como meio de otimizar os formatos já consolidados de trabalho, é preciso pensar, a todo momento, nas possibilidades que ela oferece.

Uma única ideia disruptiva pode alterar toda a estrutura da empresa para oferecer um novo produto ou serviço. Consequentemente, toda organização deve poder se adaptar às novas demandas do mercado. Trata-se de uma clara mudança de comportamento.

Um dos vetores dessa mudança é justamente o surgimento de novas tecnologias. Logo, manter-se atualizado passou a ser palavra de ordem para quem quer identificar e tirar proveito das oportunidades com rapidez.

As principais tendências tecnológicas para os negócios

A automatização de processos é uma tendência mercadológica que data de muitas décadas atrás. Entretanto, como é comum na transformação digital, ela tem agora uma natureza diferenciada. Assim como mudam-se as formas de fazer negócios, mudam-se os focos da automatização — estamos falando da gestão da informação.

Uma das bases dessa ideia é o uso da Internet das Coisas (IoT), uma das tecnologias essenciais dessa nova era. Resumidamente, ela permite que dispositivos de diferentes tipos coletem dados e se comuniquem por meio de redes sem fio (wireless), trocando dados em tempo real.

Um sistema inteligente recebe essas informações e fornece insights ou toma decisões automaticamente. Na Indústria 4.0, por exemplo, isso significa instalar sensores nas máquinas para identificar anomalias de comportamento e acionar a manutenção antes mesmo que uma falha ocorra.

Essa automatização do uso inteligente da informação alcança os mais variados setores do mercado. Na saúde, por exemplo, ela viabiliza a coleta de dados do corpo humano para monitorarmos alguns fatores em tempo real — pressão arterial, glicemia etc.

Outras tecnologias que se destacam são a Inteligência Artificial (IA) e a Realidade Virtual (VR). No primeiro caso, temos o exemplo dos chatbots, que nada mais são do que robôs digitais capazes de responder perguntas e oferecer informações. Eles já são amplamente utilizados no atendimento online de muitas empresas.

A VR e sua variação, a Realidade Aumentada, permitem experiências imersivas nos mais diferentes processos — desde a venda de imóveis (simulando a decoração de um ambiente pelos óculos VR) até o treinamento de cirurgiões.

Devido à sua capacidade de integração, o potencial dessas tecnologias é gigantesco, especialmente da IoT e da Inteligência Artificial — e um dos maiores exemplos disso é o drone.

O uso do super drone na agricultura e na indústria

Os drones são veículos aéreos não tripulados. A evolução dessa tecnologia deu uma guinada importante na transformação digital. Graças à integração de sistemas de IA e IoT, por exemplo, eles passaram a ser capazes de realizar tarefas cada vez mais complexas. Os impactos no mercado, consequentemente, são enormes.

Na agricultura, o super drone já vem sendo utilizado para otimizar o processo de pulverização de plantações. O modelo brasileiro desenvolvido pela Positivo demonstra a poderosa capacidade desse equipamento .

Voando baixo — a cerca de um metro das plantas —, ele aumenta significativamente a eficiência do processo, reduzindo o desperdício e economizando tempo e recursos do agricultor. Além disso, ele pode ser utilizado à noite, garantindo uma execução mais precisa, segura e otimizada.

Trata-se de uma inovação gigantesca e 100% brasileira, com grande potencial de aplicação e retorno significativo. Não é à toa que o agronegócio vem adotando o uso de drones em escalas cada vez maiores. Obviamente, os demais setores do mercado não ficaram parados.

O foco costuma ser o desempenho de atividades que colocariam em risco um profissional humano. Para se ter uma ideia, os drones foram parte essencial do trabalho de coleta de material em áreas de risco após o acidente da usina nuclear de Fukushima, no Japão, em 2011.

Na indústria, o uso de drones também é crescente. O serviço de segurança patrimonial, por exemplo, usa drones para ampliar sua capacidade de monitoramento de grandes áreas. Assim como no caso do desastre de Fukushima, um dos diferenciais mais valorizados do drone é sua capacidade de acessar locais de risco.

Além disso, os drones funcionam como vetores para transporte de uma infinidade de tecnologias de medição até esses locais: câmeras de alta resolução, termais e multispectrais, sensores de diversos tipos, laser scanning etc. São opções para todo tipo de atividade de mensuração.

Resumidamente, estamos falando de uma ferramenta quase autônoma de captação de dados. Na era da digitalização de processos, seu papel tende a ser de protagonismo em cenários nos quais a atuação humana pode envolver grandes riscos ou custos muito altos.

Como você pôde ver, estamos vivendo em um momento de intensa revolução do mercado. Atualize-se sempre e acompanhe as novas fases da transformação digital. O super drone e as demais tecnologias citadas aqui podem ser apenas o começo! Por isso, coloque-as para trabalhar a seu favor e conquiste resultados cada vez melhores.

Gostou de saber mais sobre o assunto? Então assine a nossa newsletter e receba mais conteúdos sobre tecnologia diretamente na sua caixa de e-mails!

Leave a Reply Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leave A Comment